O Papagaio e a Puta

Sempre que a vizinha do barbeiro passava em frente ao salão, o papagaio do distinto sapecava sem dó, do alto do poleiro:

-BOM DIA, SUA PUTA!

Papagaio

Até que um dia ela se emputeceu e lascou o verbo pra cima do barbeiro...
Ele, puto com o esporro, deu um corretivo no papagaio, pintando-o de preto.
Dois dias depois a mulher passou pela porta e o papagaio não disse nada...

Ela, então, perguntou:

-E aí, caladinho agora hein!

O Papagaio respondeu:

-Quando estou de smoking não falo com putas.

Graças à Salsani

0 bedelhos metidos: